Close
Medicina Interna e Geriatria, com o Dr. Eduardo Doutel Haghighi, o novo médico da Clínica do Lago

Medicina Interna e Geriatria, com o Dr. Eduardo Doutel Haghighi, o novo médico da Clínica do Lago

Fale-nos um pouco de si e do seu percurso.

Sou uma pessoa curiosa, estudiosa e que gosta de aprofundar todos os assuntos. Tento sempre escolher o caminho mais difícil e desafiante. E sou apologista de que as nossas vitórias obtêm-se com muito empenho e luta.

Penso que foi isso que contribuiu em optar pela licenciatura em Medicina, pela especialidade em Medicina Interna e pela subespecialização em Geriatria. Para além disso, tenho uma grande satisfação em ajudar os outros através da partilha de conhecimentos, e de deixar as pessoas bem dispostas através do bom humor. Tudo isto faz de mim um apaixonado pela minha profissão.

Tirei o curso de Medicina na Faculdade de Ciências Médicas da Universidade Nova de Lisboa, o Internato Geral no Centro Hospitalar de Coimbra e o Internato da Especialidade no Centro Hospitalar da Cova da Beira. Conciliei a minha formação universitária com 8 meses de estágios clínicos no Hôpital Unniversitaire de Kremlin-Bicêtre em Paris no âmbito do Programa Erasmus, dos quais destaco o estágio no Serviço de Geriatria, que me fez despoletar todo o fascínio que tenho nessa área. Tirei depois um curso de Mestrado em Geriatria na Faculdade de Ciências da Saúde da Universidade da Beira Interior e consegui cumprir o sonho de dar aulas de Geriatria, primeiro na Faculdade de Medicina da Beira Interior e posteriormente na Faculdade de Medicina de Lisboa. Tornei-me membro da Coordenação do Núcleo de Estudos de Geriatria da Sociedade Portuguesa de Medicina Interna. Adquiri a Competência de Geriatria pela Ordem dos Médicos, tornando-me depois membro da Direção desse Colégio. Obtive alguns prémios nesta área e tenho realizado atividade científica em cursos e congressos enquanto membro da Comissão Organizadora, Presidente de Mesa, Palestrante, Formador, Autor e co-autor de trabalhos tanto na área da Geriatria como da Medicina Interna. Trabalhei cerca de 5 anos no Hospital de Vila Franca de Xira onde criei uma Unidade de Internamento de Geriatria (pioneira no país) e uma Consulta Multidisciplinar de Geriatria.

O que é a Medicina Interna?

A Medicina Interna é uma Especialidade Médica Hospitalar que avalia a pessoa e o seu organismo num todo e não só centrada num único órgão. É considerada a Especialidade-Mãe de todas as especialidades médicas. O Médico especialista em Medicina Interna tem que ter conhecimento sobre todo o organismo, estar sempre atualizado e saber diagnosticar, prevenir, tratar e gerir todo o tipo de doenças. Tem também a responsabilidade de coordenar e solicitar apoio das outras especialidades. O Médico Internista é comparado a um Maestro ou um Gestor da saúde da pessoa.

Quais as vantagens de uma consulta de Medicina Interna?

A Medicina Interna permite realizar diagnósticos desde os mais simples aos mais complexos, prescrever medicação e tratamentos adequados, gerir doenças que afetam vários órgãos e sistemas, acompanhar pessoas que tenham múltiplas doenças ou que tomem vários medicamentos, prevenir as doenças mais frequentes, esclarecer dúvidas e ensinar sobre todo o tipo de doenças, sintomas e tratamentos. Numa consulta de Medicina Interna é realizado um historial clínico minucioso e completo na qual a pessoa é avaliada na sua globalidade. É questionada sobre o seu passado médico e cirúrgico, os seus hábitos, doenças familiares e queixas atuais. Realiza-se um exame físico completo e avaliam-se análises e exames médicos. Estabelecem-se hipóteses de diagnóstico, pedem-se os exames necessários e procede-se por fim ao ensino e prescrição da medicação adequada. Se a pessoa já tomar outros medicamentos, é feita uma revisão exaustiva dos mesmos, de modo a garantir um tratamento seguro, evitando ou minimizando interações medicamentosas ou efeitos secundários. Se necessário, é feita a referenciação a outras especialidades ou áreas médicas.

 

O Médico especialista em Medicina Interna tem que ter conhecimento sobre todo o organismo, estar sempre atualizado e saber diagnosticar, prevenir, tratar e gerir todo o tipo de doenças.

 

Qual é a ligação entre as duas especialidades que opera: Medicina Interna e Geriatria?

 

A Medicina Interna destina-se a todas as pessoas com mais de 18 anos que:

– queiram ter uma avaliação especializada e completa sobre o seu estado de saúde

– desejem ter um acompanhamento a longo prazo de modo a manterem-se saudáveis e a prevenir doenças

– apresentem sintomas e desconheçam o diagnóstico

– tomem um ou mais medicamentos

– tenham estado internadas ou que tenham sido submetidas a cirurgias recentemente

– tenham uma ou mais doenças e dúvidas ou dificuldades na gestão das mesmas

 

Exemplos de doenças avaliadas na Medicina Interna: doenças do foro cardiovascular (hipertensão arterial, insuficiência cardíaca, AVC, enfarte do miocárdio, arritmias, angina de peito), auto-imune, endócrino-metabólico (diabetes, colesterol, alterações da glândula tiroide), hepático (cirrose, fígado gordo), renal (insuficiência renal, quistos renais), pulmonares (“bronquite crónica”, asma), auto-imunes, infecciosas, reumatológicas,  imuno-alérgicas, oncológicas ou doenças raras.

 

A Geriatria é o ramo da Medicina que se dedica ao estudo, prevenção e tratamento das doenças das pessoas com idades mais avançadas. O seu objetivo é de promover qualidade de vida, saúde, funcionalidade, reabilitação e um maior grau de autonomia e independência. Realiza-se uma Avaliação Geriátrica Global na qual se avalia a pessoa num todo, nomeadamente a nível físico, funcional, mental, cognitivo, psicológico, dietético e social/familiar. Estabelece-se um plano de atuação por prioridades. Procede-se a uma revisão de toda a medicação, garantindo sempre os tratamentos mais seguros e evitando interações e efeitos secundários. Por fim, referencia-se sempre que necessário a outras áreas ou especialidades médicas.

Portanto, posso afirmar que para obtermos uma abordagem mais completa do estado de saúde de uma pessoa idosa, a Medicina Interna e a Geriatria vão-se complementar.

 

A Geriatria é o ramo da Medicina que se dedica ao estudo, prevenção e tratamento das doenças das pessoas com idades mais avançadas. O seu objetivo é de promover qualidade de vida, saúde, funcionalidade, reabilitação e um maior grau de autonomia e independência.

 

Qual é o perfil do doente geriátrico?

Costumo diferenciar o doente idoso (cujo critério é unicamente a idade) do doente geriátrico. O doente geriátrico é um doente com mais de 60-65 anos que apresente um ou mais síndromes geriátricos, nomeadamente: múltipla medicação, história de quedas, alterações de memória/raciocínio, alterações da marcha/equilíbrio/força, alterações de comportamento, emagrecimento de causa desconhecida, diminuição do apetite, tristeza ou desmotivação, perda de autonomia e independência, luto ou transtorno afetivo recente, hospitalização ou cirurgia recentes, mudança de residência ou institucionalização, dor não controlada ou incontinência.

No entanto, a Geriatria já demonstrou ser muito benéfica para todas as pessoas com mais de 60 anos e que queiram prevenir doenças ou síndromes geriátricos ou que queiram um acompanhamento especializado para garantir um envelhecimento saudável.

 

Quais identifica como sendo os grandes desafios em termos de saúde da nossa população idosa?

Em Portugal, cerca de 20% da população tem mais de 65 anos e prevê-se que em 2050, essa percentagem suba até aos 30%! Isto é possível em grande parte graças à evolução da Medicina, que nos tem permitido viver mais anos e com maior qualidade.

No entanto, no que diz respeito à saúde, a população idosa tem características muito próprias. Os idosos são física e psicologicamente diferentes do adulto jovem, têm maior probabilidade de contrair e acumular uma ou mais doenças que se manifestam frequentemente de forma atípica (dificultando o diagnóstico), têm doenças e síndromes próprios (muito complexos na sua abordagem e gestão), adoecem rapidamente e recuperam muito mais lentamente. Para os idosos, os efeitos dos medicamentos nem sempre são os esperados, as necessidades nutricionais são distintas e o suporte social e comunitário é muitas vezes escasso. Compreendemos então que a saúde da população idosa é muito mais complexa que a do adulto jovem.

Por outro lado, constata-se que a população em geral não está muito consciente desta realidade, começando pela própria pessoa idosa, passando pelos seus familiares ou cuidadores, as instituições de saúde pouco preparadas, as comunidades não adaptadas e mesmo as decisões de instância política não centradas nesta problemática.

Tudo isto pode e deve mudar, começando pela educação e instrução a todos os níveis (comunidade, ensino nas escolas médicas, etc), algo que já está bem enraizado e desenvolvido noutros países. Nesse sentido, a Geriatria tem-se demonstrado como um grande contributo na melhoria de uma saúde mais robusta e sustentável.

 

Porquê a Clínica do Lago?

Quando conheci a Clínica do Lago, foi amor à primeira vista! Apercebi-me logo que partilhava dos mesmos princípios que os meus nomeadamente focando-se no rigor, seriedade e empenho dos seus profissionais, promovendo o bem-estar, o conforto e a satisfação dos clientes, e tudo isto num ambiente descontraído, alegre e jovial. Senti uma grande empatia e ligação com a equipa e percebi logo que tínhamos uma visão comum. E claro que não podia de deixar de destacar o interesse que demonstraram nas áreas médicas que considero fundamentais, nomeadamente, na Medicina Interna e na Geriatria!

Um filme preferido e porquê?

O meu filme preferido é sem dúvida alguma o Perfume de Mulher. Penso que já o vi umas 20 vezes e era capaz de voltar a vê-lo com a mesma vontade e atenção! O papelão do Al Pacino é indescritível, o argumento e enredo muito bem construídos, prende pelos seus os altos e baixos, e leva-nos até ao auge na parte final, que ainda hoje me arrepia. Agora fiquei com vontade..

 

Add Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *